Opré Chavalé

Podes descarregar o PDF com a publicação final do Projeto Opré Chavalé no qual é explicada a metodologia de intervenção e feitas recomendações em termos de políticas públicas ou consultá-la aqui:

Download the PDF file .

O folheto informativo pode ser visualizado folheto_informativo_oprechavale

Opré Chavalé: os vídeos da campanha 3/3

Opré Chavalé: os vídeos da campanha 2/3

Opré Chavalé: os vídeos da campanha 1/3

13.02.2016 – Oito jovens das comunidades ciganas recebem bolsas para continuar os seus estudos no ensino superior. O Programa Escolhas assina um protocolo com a Associação Letras Nómadas para apoiar os esforços de um grupo piloto de jovens do Projeto Opré Chavalé que, quebrando estereótipos e ultrapassando desafios sociais, entraram no ensino superior este ano letivo. Consulte o comunicado à imprensa aqui.

04.2015 – Reunião da Comissão de Acompanhamento do Opré Chavalé

Opre-Chavale-Comissao-Acompanhamento

10.02.2015 – Seminário de apresentação no Centro de Juventude de Moscavide

Opre-Chavale-Lancamento1 Opre-Chavale-Lancamento

O Opré Chavalé é um projeto promovido pela Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres, em parceria com a Associação Letras Nómadas, cofinanciado pelo Programa Cidadania Ativa – EEA Grants, gerido pela Fundação Calouste Gulbenkian.

O projeto é altamente inovador, com base em práticas de ação positiva, e visa a integração das comunidades ciganas no ensino superior. O objetivo geral do projeto é quebrar as barreiras que separam as comunidades ciganas do sistema de educação formal, nomeadamente no que diz respeito ao acesso ao ensino superior, cursos académicos e técnicos. As entidades que promovem o projeto, têm uma vasta experiência no trabalho junto de comunidades ciganas, consciência sobre as necessidades específicas da população, tanto maioritária, como minoritária nesta área.

O projeto é baseado em práticas bem sucedidas implementadas em outros países, nomeadamente nos países do Leste Europeu, que têm uma vasta experiência nesta área. Portugal não está envolvido em programas como o Roma Educational Fund e outras medidas da Fundação Open Society, que apoiam, por toda a Europa, a educação d@s jovens cigan@s com bolsas e programas especiais de apoio ao estudo ao nível do ensino secundário e superior. O projeto tem como objetivo atuar a este nível, fazendo lobbying e solicitando o alargamento dos programas para as comunidades ciganas em Portugal que, em termos de necessidades na área do ensino, são muito semelhantes.

Ao nível político, pretende-se atuar no acompanhamento da Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas (ENICC) enquanto transposição dos objetivos da Estratégia Europa 2020, bem como fazer pressão junto do Governo para integrar as dinâmicas pós-2015, quando acaba a presente “Decade of Roma Inclusion”, para integrar o grupo de países com envolvimento específico na área.
São conhecidas as dificuldades de inserção social das comunidades ciganas, em Portugal, sendo evidentes os obstáculos que enfrentam as/os jovens ciganas/os no processo de entrada na vida ativa e no mundo do trabalho. Esta situação encontra-se, evidentemente, associada à fraca escolarização desta população e à elevada taxa de insucesso e de abandono escolar precoce das crianças e jovens ciganas/os. (ENICC, p46). O projeto contribui para a Prioridade 21 da Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas, no sentido de promover a educação superior junto de jovens cigan@s, as suas famílias e comunidades.
A questão do ensino formal e, por conseguinte, a inclusão no mercado de trabalho formal, é uma área prioritária no que diz respeito à integração das comunidades ciganas, sendo que o abandono escolar precoce demonstra taxas muito altas no caso d@s jovens cigan@s. Os rapazes abandonam a escola no 7º ano em média e as raparigas, devido à identificação do papel social tradicional do sexo feminino como um dos pilares da identidade cigana, abandonam quando iniciam a sua vida enquanto “mulher”, na altura primeiro período, em média no 4º ano de escolaridade.
O projeto pretende criar um Programa de Capacitação replicável que tem como objetivo trabalhar a área da cidadania ativa e trabalhar as soft skilss d@s participantes, indispensáveis para o sucesso no ensino superior. Devido à socialização e a falta de exemplos através de gerações, @s jovens cigan@s encaram dificuldades acrescidas no acesso à aprendizagem ao longo da vida. O Programa é inovador e atua em duas áreas simultâneamente, trabalhando o desenvolvimento pessoal abordando temas como Direitos Humanos e Igualdade de Género promovendo o debate e a conciliação dos mesmos com a identidade cigana.
Com o Grupo Piloto, enquanto exemplo e os contributos da Letras Nómadas na área da mediação intercultural, o projeto pretende sensibilizar, por um lado, as comunidades ciganas e, pelo outro, os agentes chave no sistema do ensino formal. Será implementada, uma Campanha de Sensibilização ao nível nacional, recorrendo a outdoors, mupis e um spot audiovisual, criado com a participação do Grupo Piloto e disseminado amplamente junto das comunidades ciganas. Para a informação d@s jovens interessad@s, será criado um folheto informativo com linguagem acessível que integrará os resultados do mapeamento de possibilidades e informação específica relevante a este público e será disseminado através das redes do IPDJ, Programa Escolhas, Pastoral dos Ciganos, mediador/as interculturais, escolas, juntas de freguesia etc.
O Opré Chavalé assegura a disseminação dos seus resultados através da implementação do Plano de Comunicação.

LOGO EEA GRANTS

Malcare WordPress Security