A 25 de março de  2018 estivemos à conversa com Radha Paudel na Casa d’Allen, Porto. Esta foi uma tertúlia organizada por um grupo de cidadãos e cidadãs que entende que as discriminações e as violências contra as mulheres vividas à escala global devem ter fim!

Radha Paudel é uma ativista feminista nepalesa que trabalha nas regiões rurais mais pobres do Nepal determinada a pôr fim a uma prática tradicional violenta que condena as mulheres ao isolamento social e a todo o tipo de discriminação quando estão com a menstruação e após o parto. Designada por Chhaupadi, esta prática violenta impõe às raparigas e mulheres o isolamento, não lhes sendo possível qualquer contacto com outra pessoa ou mesmo comer à mesma mesa da família. Esta prática tem levado a que muitas mulheres nepalesas se suicidem, bem como a complicações e a infeções de várias ordens.

O Estado nepalês ratificou a CEDAW e tem, desde agosto de 2017, uma lei que proíbe esta prática; tem, no entanto, um ano (até agosto de 2018) para implementar a lei. Mas como nos diz esta ativista “uma coisa é a lei, outra coisa é a realidade” – premissa que se aplica em todos os países no que respeita ao combate à violência contra as mulheres!

O que Radha quer é conscientizar a opinião pública, local, nacional e internacional, sobre esta prática violenta bem como sobre outras formas de violência que as mulheres nepalesas experienciam. Várias foram as entrevistas dadas (RTP e JN); Radha escreveu também um livro que pode ser adquirido aqui.

A conversa foi facilitada pela jornalista Diana Bouça-Nova da RTP, e contou também com Mariana Mata do Graal e Maria José Magalhães da UMAR

.

Mais informação aqui e aqui.