A 62ª Sessão da Comissão sobre o Estatuto das Mulheres (Comission on the Status of Women, CSW) a acontecer em Nova Iorque, entre 12 e 23 de março, tem como tema prioritário “Desafios e oportunidades para alcançar a igualdade de género e o empoderamento das raparigas e mulheres rurais”, e como tema de revisão “Participação e o acesso das mulheres aos media e às TIC, o impacto sobre e o uso desses meios no empoderamento das mulheres”.

O recente Relatório do Secretário-Geral da ONU (2017) dá conta do estado da arte sobre os desafios e as oportunidades no contexto da implementação plena, efetiva e acelerada da Declaração e da Plataforma de Ação de Pequim e da implementação com a perspetiva da igualdade entre mulheres e homens da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

As persistentes desigualdades de género nas áreas rurais comprometem a subsistência, o bem-estar e a resiliência das raparigas e das mulheres rurais. A ação coletiva deve focar-se na garantia e realização dos direitos das mulheres rurais a um padrão de vida digna adequada, a uma vida livre de todas as formas de violência, à segurança alimentar, educação e saúde. Deve apostar-se num maior comprometimento a fim de garantir que nenhuma rapariga e mulher rural é deixada para trás.

Slide1

A Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres promove o evento paralelo denominado “Rural women in Portuguese Speaking Countries Community: challenges and opportunities“, calendarizado para o dia 16 de março de 2018, às 16:30, no Armenian Cultural Centre (630 2nd Avenue).

A oportunidade deste evento prende-se com o facto de, na Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), as mulheres rurais constituirem a maioria da população, enfrentando múltiplas discriminações em todos os setores da vida. Neste contexto, e considerando os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 1, 2, 5, 8, 10, 11, 12e o facto bem conhecido de as mulheres rurais desconhecerem muitas vezes os seus direitos humanos, este evento paralelo tem por objetivos:

  • continuar a boa prática iniciada em 2017 pela Plataforma Portuguesa de Direitos das Mulheres de realizar um evento paralelo entre ativistas e pessoas na tomada de decisão na CPLP no contexto da CSW – Em 61 anos de CSW foi a primeira vez que as ONGDM portuguesas dinamizaram um evento paralelo.
  • contribuir para a implementação do Plano de Ação para a Igualdade de Género e Empoderamento das Mulheres da CPLP (2017-2020);
  • contribuir para a criação de uma rede de organizações de mulheres e outras partes interessadas nos países da CPLP.

Acabámos de produzir uma brochura sobre o empoderamento das mulheres na CPLP. Conheça o contexto e os compromissos que nos são comuns: aqui.

Mais informação sobre a 62CSW aqui e aqui.

#62CSW